Receita na mesa

Aprenda a fazer um chocolate quente cremoso

A bebida é uma ótima opção para os dias mais frios

Por Receita na mesa

  • min 15
  • Porções 4
  • Nível Fácil

O chocolate quente é uma bebida doce muito consumida em dias mais frios. Pode ser feita tanto de chocolate em pó, quanto de cacau em pó. A cremosidade depende dos ingredientes e das quantidades que serão utilizadas na receita.

Ingredientes
  • 1 caixa de creme de leite
  • 3 colheres (sopa) de chocolate em pó
  • 2 xícaras (chá) de leite
  • 1/4 de uma lata de leite condensado


Modo de Preparo

  • Em uma panela coloque o creme de leite, o leite condensado e o chocolate em pó. Vá mexendo até que ferva.
  • Logo após a ebulição acrescente o leite e deixe cozinhar mais um pouco. Quando estiver na textura desejada, desligue o fogo e sirva em seguida.

Dicas 

- Há outros ingredientes que você pode usar para fazer o seu chocolate quente . Se achar que ele está muito ralo, por exemplo, a dica é acrescentar um pouco (uma colher de chá) de amido de milho e mexer bem. Agora se deseja dar um sabor a mais, pode acrescentar canela em pó a gosto. 

- Uma forma de incrementar mais ainda é o acréscimo de alguns alcóolicos como wisky, conhaque e amarula, eles aumentam o fator "quente". Tome apenas cuidado com a quantidade que será colocada.  

+ Suco de abacaxi com hortelã

- A melhor ocasião para consumo dessa bebida são os dias frios. Ela tem a capacidade de esquentar e relaxar o corpo. Bolos simples, pão de queijo e biscoitinhos são ótimos acompanhamentos. Não vamos esquecer, é claro, do edredom. 

Curiosidades

- Essa bebida surgiu na época das Grandes Navegações. O Brasil e seu cacau haviam sido descobertos recentemente e os europeus levaram as sementes do fruto para casa, lá se teve a ideia de misturá-las com o bagaço da cana. O líquido quente robou o primeiro lugar na preferência de muitos nobres e a receita se tornou bastante elitizada. 

+  Suco rosa: aprenda a preparar esta bebida

- Na época em que começou a ser consumido, o chocolate quente chegou a ser considerado um presente dos deuses pelos cidadãos e relacionado a poderes especiais por médicos. Tanto que foi proibido pela Igreja Católica por um tempo.