Receita na mesa

Aprenda a fazer cachorro quente de forno

Essa receita é rápida e muito fácil, confira a receita e o passo a passo

Por Receita na mesa

  • min 30
  • Porções 8
  • Nível Fácil

O cachorro quente de forno é uma ótima opção para lanches da tarde ou confraternizações. Além de ser muito barato, é delicioso e pode ser feito de acordo com o gosto de cada um.

Ingredientes
  • 1 cebola cortada em pedaços pequenos
  • 1 dente grande de alho amassado
  • 15 salsichas picadas em rodelas
  • 1/2 xícara (chá) de milho
  • 1/2 xícara (chá) de ervilha
  • 400 g de molho de tomate
  • 1 colher (sopa) de açúcar
  • 2 xícaras (chá) de leite
  • 1 e 1/2 xícara (chá) de farinha de trigo
  • 2 ovos
  • 1/2 xícara (chá) de creme de leite
  • 2 colheres (sopa) de fermento químico em pó
  • A gosto: sal, batata palha, azeite e margarina


Modo de Preparo

  • Em uma panela esquente o azeite e doure a cebola e o alho. Coloque o molho de tomate e deixe cozinhar por cerca de 10 minutos.
  • Depois acrescente a salsicha, o milho e a ervilha e deixe cozinhar por mais 5 minutos. Acrescente o açúcar para corrigir a acidez e coloque sal a gosto. Reserve.
  • Em um liquidificador bata todos os ingredientes da massa (leite, farinha de trigo, ovos, creme de leite e fermento) até que se torne homogêneo.
  • Em uma forma untada com margarina coloque metade da massa do liquidificador. Cubra com todo o molho da salsicha e depois coloque o resto da massa por cima.
  • Polvilhe batata palha por cima e leve ao forno, pré-aquecido, a 180° até que doure.
  • Sirva com um pouco mais de batata palha.

Dicas

- O cachorro quente possui variações de acordo com cada localidade, em São Paulo, por exemplo, é tradição acrescentar purê de batata no lanche. No caso do cachorro quente de forno não é diferente, se você preferir substituir algo ou apenas acrescentar um ingrediente, fique a vontade. 

+ Confira receita de uma batata chips crocante e sequinha

Você sabia?

- É muito difícil saber quem inventou a receita ou quando isso aconteceu, mas a teoria mais aceita atualmente é de que ela surgiu no século 19, na Alemanha. O açogueiro Johann Georghehner teria nomeado sua descoberta como uma forma de homenagem ao seu cão que era da raça basset.